Home O Colégio Educação Infantil Ensino Fundamental Ensino Médio Cursinhos TV Integral Canais de Notícias Contatos

        TV INTEGRAL
     
        CHAT INTEGRAL

ANIVERSARIANTES   DO MÊS
O que você achou do nosso novo site?

Excelente
Bom
Regular
Preferia o antigo
Redações Destaque do Cursinho 2014

Larissa Fernanda

Mãe não existe igual

            Próximo ao inverno, começou a chover muito forte sem parar. Alagou mais de vinte e cinco casas. Inclusive a de Leonardo e sua mãe Maria.

            Leonardo e sua mãe foram logo para o ponto mais alto da cidade, mas ao chegar perto de lá, o trecho que já estava alagado foi invadido por mais água.

            O menino segurou em um galho grosso e na mão de sua mãe para salvá-la de ser lavada pela forte enxurrada. Maria raciocinou e disse:

            - Eu vou, solicitar sua mão e você subirá no ponto mais alto da cidade.

            A mãe do menino se soltou e foi levada pela enxurrada. O garotinho subiu se lastimando muito, mas foi salvo. E percebeu que só uma mãe abriria mão de sua vida para salvar um filho.

 

  


Carlos Martins

As mães são únicas

                Certo dia, havia um menino chamado Carlos, que tinha uma mãe magnífica que cuidava dele em todos os momentos. Até que um dia, ele que tinha seis anos e não sabia nadar, estava ao lado de uma piscina com medo de pular para não se afogar dentro da piscina, uma menina chegou atrás dele e disse:

                -Vai menino! – E o empurrou.

                O desespero foi tão grande que sua mãe saiu correndo com sua amiga e elas o salvaram de se afogar. Por um bom tempo ficou sem entrar na piscina.

                Quando saiu dela ele estava tonto com um pouco de dor de cabeça, pensamento muito forte de tristeza e ao mesmo tempo um pensamento de raiva.

                Carlos só pensava no porquê do menino ter o empurrado, mas agradeceu a sua mãe por toda atenção e carinho.

 

 

Luana Julia

A mãe e a filha

                Uma filha que se chamava Ana Fabrícia adorava sua mãe Eduarda e gostava também de seus planejamentos.

                A mãe queria fazer uma festa surpresa para sua filha. Eduarda não tinha condições financeiras para fazer a festa, mas fez tudo direitinho, deu tudo certo, ela conseguiu fazer os doces, o bolo e a decoração.

                No dia do aniversário, de Ana Fabrícia, ela foi até lá dizer os parabéns. Assim que ela começou a festa surpresa, a mãe saiu do quarto e veio várias pessoas e disse que a festa estava linda. A filha foi até ela e disse:

                - Mãe, obrigada! Por isso mãe só tem uma.

                A festa continuou, mas a mãe começou a chorar, porque o que a filha dela disse, valia mais do que um diamante.

 

 

  
Lívia Campos Lins

O melhor presente

            Em um dia bem chuvoso, uma mãe e sua filha que moravam em uma casa muito humilde feita de madeira e barro lembraram que uma data importante estava chegando, o dia das mães.

            Sua mãe trabalhava fazendo faxinas em algumas casas mas ganhava pouco e a menina apenas estudava, adorava ficar na biblioteca lendo livros.

            Quando chegou ao trabalho, a mãe foi fazer o jantar com o resto de comida que tinha sobrado do dia anterior, preparou com muito amor e carinho, e como chovia muito, uma sopa seria ótimo.

            A querida mãe com muito cuidado levou a comida para a sala e deu na boca de sua filha como se fosse um bebê.  A filha falou que a amava muito e disse-lhe que nunca iria perdê-la.

            No domingo seria o dia das mães e a menina foi à escola para fazer as lembranças para a festa no sábado em homenagem as mães, mas precisava pagar uma taxa, então ela não pôde participar.

            Sua mãe como era sábia, vendo a filha voltar tão triste da escola, disse-lhe que o melhor presente que ela poderia receber em homenagem ao seu dia, era seu amor.

 

 

 

Paulo Vinicius

A dificuldade para ser mãe

            Todos os médicos diziam que ela não podia ser mãe, contrariando os médicos, ela engravida. Foi uma gravidez difícil, de alto risco. Mas a felicidade de está gravida era tão grande, que ela aceitou todas as recomendações.

            Entrou em trabalho de parto no quinto mês de gestação, mas ainda não foi desta vez que o bebê nasceu. Ficou internada até o oitavo mês, quando recebeu alta do hospital, para poder passar seu aniversário em casa, pois não aguentava mais tantos exames nem tantas furadas de agulhas das injeções que tomava.

            Só deu tempo mesmo de comemorar os parabéns, logo em seguida voltou ao hospital, mas desta vez chegou a hora. Estava tudo certo para o parto ser normal, no entanto, mais uma dificuldade surge. Os batimentos cardíacos do bebê estavam caindo, e a levaram para uma cesariana. Só assim então, acaba-se a agonia e ela pôde dar a luz ao seu esperado e tão amado filho.

Não é a toa que usa-se tanto o velho ditado popular, "mãe só tem uma".

 

 

 

Ana Luiza Melo

Uma data a ser lembrada

            No segundo domingo de maio, passando pela entrada de um supermercado, uma mãe se depara com um cartaz que indica um sorteio de vários presentes do dia das mães, ela tenta trocar olhares com seus filhos para chamar atenção sobre a data, mas eles se mostram desinteressados.

            Já em casa, a mãe arruma suas compras e vai descansar, pensando se realmente seus filhos deixarão passar em branco essa data tão especial. Ela acaba pegando no sono.

            Enquanto ela dorme, seus filhos e seu marido preparam um belo jantar para homenageá-la. Quando ela acorda, lhe entregam presentes e até mesmo uma carta dizendo como ela era especial na vida deles. Ela fica surpresa, contente e aliviada de saber que tem uma grande importância na vida de seus filhos.

 

  

Maria Eduarda de Menezes

Mãe, só uma

            Mãe, é como uma rosa, bonita, meiga e perfumada. Mas, antes de tudo, mãe é mãe. Ela é cuidadosa e carinhosa.

            A mãe de Bruna é japonesa, e com seu jeito, alegra a todos. Uma vez, elas foram ao shopping e Bruna pediu para ir ao Game Station, mas ela disse que não, então elas foram ao cinema, e depois foram tomar sorvete.

            Mais tarde, ainda no shopping, elas ficaram sabendo que um brinquedo caiu (justamente o que Bruna queria ir) e cinco pessoas se acidentaram.

            Bruna entendeu que a sua mãe queria apenas protegê-la. A mãe dela disse que sentiu que algo aconteceria.

            Bruna, antes de pedir a mãe para ir para casa, disse a mãe que a amava e que nunca a esqueceria, porque mãe, só existe uma. 

 

  

Enzo

Mãe especial

            Uma família estava em um belo parque fazendo piquenique. E quando a família havia acabado de comer foram brincar de pega-pega, andar de bicicleta e jogar bola.

            Mais tarde eles foram caminhas pelo parque e quando estavam em cima de uma pedra vendo o rio, o menino caiu e se cortou todo.

            A mãe lavou os ferimentos do menino e colocou remédio para cicatrizar rapidamente. Depois disso, eles descansaram bastante para continuar se divertindo como estava antes.

            Quando o sol estava se pondo, o menino com muito, mais muito amor, deu um abraço muito forte na mãe por ela ter ajudado ele e também porque ele a amava muito e esperaram p sol se pôr para irem embora.

 

Vitor Alexandre

 Uma mãe incrível

            Certo dia Pedro saiu com seu pai e sua mãe Julia, para o parque que ficava perto de onde Pedro morava.

            E no parque Pedro começou a brincar nos brinquedos. O dia estava bem ensolarado e já estava de tarde.

            Pedro encontrou vários amigos no parque como: João, Paulo e etc. Eles brincavam e as mães liam revistas, menos a mãe de Pedro que sempre ficava observando eles brincarem.

            Quando Pedro brincava em um brinquedo, a mãe dele percebeu que o brinquedo começou a quebrar e logo correu.

            A mãe correu e pegou Pedro no braço, e bem a tempo, as outros meninos caíram e só depois que caíram foi que os pais deles perceberam.

            Pedro agradeceu a sua mãe. E percebeu que mãe é so uma.

 

  

Amanda Laryssa Malafaia

A importância da mãe

            Existia um menino chamado Jonh, ele era desobediente pois decepcionava muito seu pai e principalmente sua mãe que trabalhava muito só para atender seus luxos como Skat, patins e outros brinquedos de meninos.

            Um dia, sua mãe ficou doente e não pode realizar os desejos de seu filho, pois assim Jonh pensou que bem que sua mãe era muito importante. Ela o teve, sentiu dor para tê-lo, acordou a noite só para dar leite o tratou bem, ensinou a ele bons costumes, colocou-o em um em uma escola mesmo não tendo condições financeiras ótimas.

A mãe deve ser obedecida e não chamada de comentários mentirosos como chata e injusta, todos e principalmente ela merece respeito ela, é nossa vida, temos que aproveitar bem.

Jonh voltou para casa correndo e foi abraçar sua mãe muito forte, pedindo perdão. Sua mãe o perdoou e ele assim percebeu a importância de sua mãe.

 

 

Maria Eduarda Magalhães

Mãe, a mulher que faz o mundo

Bruno, um garoto que morava na Vila 31, estava sendo vítima de bullyng na escola. Mas não queria contar para sua mãe, pois seria julgado de “filhinho da mamãe”. Ele sofria calado.

Mas não adiantou, Bruno chegava todo machucado e a mãe logo percebeu. Conversou com ele, que ficou um pouco desconfortável, principalmente porque sua mãe foi na escola reclamar.

Passados alguns dias, Bruno começou a se abrir mais com a mãe. Contava sobre sua rotina, segredos, paixões e que agora ele não se importava com as coisas que diziam ao seu respeito. Ela havia feito amigos e estava muito feliz.

Naquela semana, sua escola fez uma homenagem ao dia das mães, em que os alunos teriam que fazer um discurso improvisado, retratando a importância das mães. Na vez de Bruno,ele disse:

-Mãe! Palavra de três letras e um significado infinito. Uma mulher forte,guerreira e que faz tudo por seus filhos. Eu te Amo Mãe!

A Mãe abraçou Bruno bem forte, deixando todos da platéia emocionados.      

 

Gabriela Diniz de Araújo

Amor de Mãe

Judy era uma garota de nove anos que estava no shopping Rio Mar com sua mãe, Flávia,quando se perdeu.

A menina estava olhando roupas na Zara, sua mãe a chamou mas ela não escutou ficou sua mãe não estava  lá olhando as coisas. Quando se tocou percebeu que sua mãe não estava com ela, começou a procurá-la na loja, não achou a mãe, então saiu da loja, quando saiu, sua mãe se tocou que Judy não estava com ela, e saiu procurando, sem rumo, sem saber o que fazer.

Flávia voltou para a Zara, mas Judy não estava lá, tinha ido na loja ao lado, por coincidência, Flávia também foi na loja ao lado, pensou nosso porque era uma loja de brinquedos, a mãe de Judy viu ela no final da loja e gritou desesperada:

- Judy! Judy! Eu estou aqui! Venha!

Judy estava chorando, correu para abraçar a mãe, Flávia começou a dizer que amava muito Judy e que nada conseguiria separá-las, Judy nesse momento percebeu que a mãe era única e que o amor de uma mãe é enorme.

 

 
Mariana Brilhante Dantas

Dia das mães

                No dia das mães, Pedro, um garoto que perdeu sua mãe com apenas sete anos, vai a floricultura comprar lindas rosas vermelhas para presenteá-lo no seu túmulo. O dia estava muito agitado.

O pai de Pedro é casado com uma mulher que o maltratava muito. Sua madrasta, assim viu as flores, já foi tirando das mãos de Pedro e dizendo:

- Olha, essas rosas são minhas. Sou casada com seu pai, por isso sou sua mãe agora.

Pedro, pegou as rosas e foi ao cemitério, que, ao chegar lá, começou a fazer um discurso para a sua mãe dizendo: “Mãe, sinto muita sua falta. Não vou dizer que você foi embora, porque você não foi. Você apenas deu um até mais.” E saiba que, eu te amo no presente do indicativo. E sempre vou te amar. Mãe? Mãe só tem uma. Que é você! Te amo! Meu pai pode casar mil vezes! Mas, você sempre vai ser minha mãe. Minha única mãe.”

Nesse momento, veio a cabeça de Pedro todas as coisas que sua mãe já fez para ele, o ensinou a andar, a falar... E que mãe é uma coisa importante! E que merece todo nosso carinho, porquê? Porque Mãe, só tem uma!

 

 

Eric José Costa

Mãe, só tem uma

Agenilda era muito linda quando jovem, ela vivia com o pai e a mãe, isso antes dela ter, os seus filhos, a partir disto, vivia: ela, o marido e os filhos.

Numa manhã ensolarada, Azenilda estava limpando o terraço de sua casa quando Ane e Toninho, seus filhos mais velhos, chegaram, ela percebeu que eles estavam tristes e desesperados, os seus rostos estavam deprimentes, foi quando Ane lhe disse:

- Mãe, Eric está passando muito mal, muito mesmo, ele está chorando muito – sua voz falhou – ele também está muito branco, muito pálido.

Foi então que Azenildo se desesperou, seu filho mais novo estava em um estado grave, o que ela poderia fazer para ajudá-lo? Em desespero ela saiu correndo atrás de seu filho, quando ela chegou no quarto, seu marido estava de joelhos do lado da cama, enquanto Eric estava gritando de dor deitado na cama, e sim, estava muitíssimo pálido, muito mesmo.

Ninguém sabia o que fazer, todos tentavam acalmar Eric, mas a dor só piorava, foi então que Azenilda teve uma idéia para salvar seu filho, ela sabia a receita de um chá muito bom, ela então saiu do quarto e foi direto para a cozinha para preparar o chá.

Alguns minutos depois, ela voltou para o quarto, já com o chá nas mãos, seu filho mais novo tinha piorado bastante, ela então foi lhe dar o chá. No começo foi difícil, ele odiava chá, mas acabou cedendo e tomou. Depois de terminar de beber, já podia ver a melhora, mas Azenilda sabia que o efeito não duraria muito, logo ele pioraria, teria que levá-lo para o hospital, e logo.

Eles então foram para o hospital, o médico disse que era só tomar um pouco de soro e pronto, e também disse que se não fosse o chá de Azenilda, a situação tinha muitas chances de acabar gravemente. Então eles perceberam que Azenilda tinha sido o fator principal da melhora de Eric.

 

 

 

Wanessa Maria Carvalho

Dia das mães

Perto de chegar o dia das mães, a professora pediu que os alunos fizessem uma crônica, de “Mãe só tem uma”, e também que lessem para ela na hora da aula.

Todos os alunos estavam ansiosos, o Joãozinho como sempre quis ler primeiro sua crônica, quando começou a leitura disse que estava estudando, pediu ajuda a sua mãe, e ela lhe ajudou na tarefa... Todos os alunos leram, e as mamães se emocionaram. Mas, quando Clara foi ler a sua, aí sim que todos se comoveram, falava coisas bonitas, e que amava muitíssimo sua mãe, o quanto ela lhe ajudava, às vezes também brigava, mas pelo que ela dizia na leitura, a cada palavra descia uma lágrima das mães que estavam sentadas.

Quando Clara acabou de ler, todos aplaudiram e foi escolhida a melhor redação da turma.

 

 

 

Maria Beatriz Martins

Uma mãe importante

Numa praia, um menino que não respeitava a mãe, averiguou uma baleia azul e prateada. Ao se iludir com aquilo, começou a nadas para longe e sua mãe gritou:

- Filho, onde está você?

- Você é muito boba mãe, só estou querendo ver aquele animal!  - Respondeu o filho.

A amabilíssima mãe, não soubera o que fazer, então pulou em alto mar e foi atrás do filho, conseguindo pegá-lo e levá-lo para a areia, ele falou para ela:

- Sua feia! Só queria avistar a baleia!

Então, com muita raiva, o menino achando que ela iria aquém de suas expectativas, jogou a mãe no mar, fazendo-a cair com o sol no seu rosto.

Com o coração batendo muito forte, ele se lembrou de como a tratava mal e quando ela acordou, ele o beijou, chorou com sentimento de culpa e percebeu que só existe uma mãe, daí em diante a respeitou como ela merecia.









----------------------------------

----------------------------------

----------------------------------

-----------------------------------

-----------------------------------

WebDesigner By: David Santos